• Imaginários / Quinta-feira, 15 de dezembro, 19h00

    Outros Antropocenos – O Apocalipse visto da Amazónia — Patrícia Vieira

    Como pensar o Apocalipse a partir de uma perspetiva indígena, para quem o fim do mundo é um acontecimento cíclico? A nossa era geológica está profundamente afetada pelo impacto da humanidade, marcada por um colapso ecológico e pelo fim da realidade que conhecemos. A partir da obra de Denilson Baniwa, artista do interior da Amazónia, em diálogo com filmes como Mad Max, Patricia Vieira reflete sobre o Antropoceno com base nas cosmovisões dos povos da Bacia Amazónica.

    Patrícia Vieira é investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, trabalhando sobre Literatura e Cinema Ibéricos e Latino-Americanos, Estudos de Utopia e Humanidades Ambientais. Desde 2020 coordena o projeto ECO – Animais e Plantas em produções Culturais sobre a Amazónia.
    Local: Auditório Biblioteca Municipal Almeida Garrett

    Lotação limitada.
    Reserva antecipada de bilhete, gratuito, através do e-mail galeriamunicipal@agoraporto.pt. 

    Imagem: Revista Amazônia Latitude (fotograma)
     
  • Ciência é Arte / Quinta-feira, 18 de janeiro, 19h00

    Vibrações Cósmicas – Da Física às Artes no Cern — Mónica Bello com Nicole L’huillier

    Concebendo a arte como uma prática impulsionada pelo conhecimento que, a par da ciência, contribui para a sociedade e é um pilar da cultura contemporânea, o programa Arts at CERN fomenta a investigação, a produção e a partilha de disciplinas criativas para abordar a forma como as grandes questões sobre o nosso universo são exploradas pela ciência. Nesta conversa, Nicole L'Huiler e Mónica Bello, discutem as formas em que a arte e a ciência se desafiam e interrogam mutuamente.

    Curadora historiadora de arte, Mónica Bello dirige Arts at CERN, em Genebra, promovendo residências artísticas, comissões de arte e exposições. Bello é também curadora do Pavilhão da Islândia na Bienal de Veneza de 2022.
    A artista Nicole L'Huillier trabalha com som, vibrações, ressonâncias, e múltiplas transduções para explorar a performatividade da micro à dimensão cósmica. Participou no programa Simetria, que lhe permitiu uma residência no CERN e nos observatórios astronómicos do Sul do Chile, ALMA e Paranal.
    Local: Auditório Biblioteca Municipal Almeida Garrett

    Lotação limitada.
    Reserva antecipada de bilhete, gratuito, através do e-mail galeriamunicipal@agoraporto.pt.

    Imagem: Nicole L'huilier, "Leche Holográfica"
     
  • Concertos Comentados / Sexta-feira, 27 de janeiro, 19h00

    Shafts of Sunlight — Lamin Fofana

    O futuro é incerto. O caminho está em constante mudança. Os nossos encontros com o mundo levam-nos a experimentar e criar conceitos e formas novas que nos ajudarão a imaginar uma existência diferente, uma saída da turbulência e da brutalidade. Shafts of Sunlight é uma performance-instalação improvisada e aberta, feita de fragmentos e detritos de sessões de estúdio prolongadas. É uma perturbação da linearidade do tempo histórico, o historiador Robin D. G. Kelley se refere como Blues Time; é simultaneamente o passado, o futuro, e o espaço intemporal da imaginação.

    Lamin Fofana é artista e músico residente entre Nova Iorque e Berlim. A sua música explora questões de movimento, migração, alienação, pertença e o que está para além da nossa realidade. O seu interesse pela história e o presente, e a sua prática de transmutação de texto no meio afetivo do som, manifestam-se em performances e instalações multissensoriais ao vivo.
    Local: Palácio dos Correios

    Mais informações sobre bilheteira a anunciar em breve.

    Classificação etária a ser atribuída.
     
    Imagem: Ink Agop
  • Visitas-Pavão

    Visitas-Pavão

    Para participar nas Visitas-Pavão podem inscrever-se todas as turmas interessadas, através do e-mail galeriamunicipal@agoraporto.pt.
    Quartas e quintas-feiras, das 10 às 13 horas e das 14 às 18 horas
     
    Duração: 90 min. 
  • Em contínuo

    Podcasts com Mariana Sardon

    Mariana Sardon vive e trabalha na cidade do Porto. Licenciada em Tecnologias da Comunicação Multimédia, na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Instituto Politécnico do Porto e mestre em Música Interativa e Design de Som, na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Dedica-se às artes visuais e sonoras e investiga arquivos de audio e de imagem. Interessa-se pelos processos técnicos de registo da memória visual e sonora, que explora ao nível ao performance ou da instalação. Actualmente dá também formação em workshops de eletrónica
    direccionada para a construção de objectos de criação sonora. 
    O podcast PING! pode ser ouvido aqui.
  • Pastos e Pastos / Sábado, 11 de fevereiro, 10 - 13h00

    INLAND: Campo Adentro — Fernando García-Dory

    Iniciado por Fernando García-Dory, INLAND examina a relação entre a cidade e o campo, considerando a cultura, identidade, geopolítica e território no contexto da arte contemporânea e centrando-se na economia da arte e da terra, na utopia organizada, e nas formas como os humanos interagem com a biosfera. O artista conduzir-nos-á pelos caminhos do projeto apresentado na Documenta 15, combinando o fabrico de queijo e sistemas de intercâmbio e fomentando vivências coletivas sustentáveis.

    O trabalho de Fernando García-Dory explora a relação entre cultura e natureza, ponderando as suas diversas dimensões: dos microorganismos aos sistemas sociais, passando pelo desenho de linguagens artísticas tradicionais e projetos agroecológicos colaborativos.
    Local: Mercado do Bolhão

    Mais informações sobre bilheteira a anunciar em breve.
  • Imaginários / Sexta-feira, 24 de fevereiro, 19h00

    Transcalaridades, Niebla, a gata, e outras formas de dissidência material — Andrés Jaque

    Atores improváveis — como os lírios gigantes Victoria Amazonica; Raphael e Bamban, taggados como trabalhadores sexuais brasileiros; Silvio Berlusconi; os condomínios 432 Park Avenue; o vidro ultra claro; grindr; fracking; o smoking Lanvin sem camisa de Kim Kardashian; NO2; Niebla a gata; a cave de Mies e o projecto Clean Heat de Mike Bloomberg—são convocados para reconstruir a história recente da Arquitetura.

    Andrés Jaque — arquiteto, escritor, curador e Reitor da da Columbia University Graduate School of Architecture, Planning and Preservation — é um dos iniciadores das abordagens interscalares e transmediais aos estudos urbanos e territoriais. A sua obra explora a arquitetura como o emaranhado da vida, dos corpos, das tecnologias e dos ambientes. Fundou o Office for Political Innovation.
    Local: Auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett

    Lotação limitada.
    Reserva antecipada de bilhete, gratuito, através do e-mail galeriamunicipal@agoraporto.pt.

    Imagem: Miguel de Guzmán

loading

Assine a nossa newsletter