PINGS!
PINGS! são jovens estudantes entre os 16 e 22 anos que conhecem e acompanham as atividades da GMP, dialogando com as equipas curatoriais, artistas e outros convidados, participando ativamente n quotidiano de uma instituição artística.
 
PINGS! inventam formatos e metodologias de encontro, diálogo e partilha de ideias à medida que vão descobrindo o modo de funcionamento de um centro de arte, as suas agendas e lógicas operativas. 
 
PINGS! darão continuidade ao projeto nas suas turmas e contextos educativos através de visitas guiadas, moderação de conversas, realização de materiais áudio-visuais ou outras modalidades que queiram propor e implementar. 
 
PINGS! irão dialogar e colaborar com investigadores como Marílio Wane, artistas como Paula Pin ou curadores como o Pablo Berástegui, entre outros, através de workshops, conversas e entrevistas no âmbito dos três eixos de programação Gineceu+Estigma, Memória de Elefante e Exodus. Cada sessão pings! será gravada num podcast que conta com a colaboração de Mariana Sardon.
galeria

ping! / pings! / 22 de maio

0.0 Encontro para aquecimento

O encontro denominou-se por 0.0 por ser um primeiro momento de partilha entre participantes. Foram propostas algumas ações de dinâmica de grupo e realizado um percurso onde se dialogou sobre a história e as paisagens dos Jardins do Palácio de Cristal.
 
galeria

ping! / escolas / 1 de julho

0.1 Percurso Exodus com Pablo Berastagui

Os Pings! voltaram a juntar-se, desta vez num percurso EXODUS guiado por Pablo Berástegui. Idealizado pelo diretor do projeto de fotografia documental Salut au monde! e produtor cultural, o percurso deu a conhecer o lado mais a norte do Bonfim, um bairro que se tem vindo a tornar lugar de residência e de trabalho para um número crescente de artistas. A visita a novos projetos e espaços culturais independentes e o diálogo junto dos seus criadores e programadores, permitiu entender de que forma estes projetos se materializam em escalas e estruturas diferenciadas, complementando e contribuindo para o bairro.
 
galeria

ping! / Escolas / 23 de julho

0.2 Workshop com Paula Pin: BIO.TRANS.LAB

O workshop proposto por Paula Pin, insere-se no projeto Bio-trans-lab, um dos módulos da plataforma hackteria.org. Materializado numa carrinha, a CyanoVan é um laboratório de ciências nómada, aberto à experimentação com o corpo e a tecnologia, numa lógica de aprender fazendo. O projecto móvel, que tem percorrido o mundo, procura disseminar e ativar processos científicos abertos à comunidade, trazendo o laboratório queer transhackfeminista ao espaço dos jardins do Palácio de Cristal.

A prática da artista e ativista Paula Pin combina ciência, a biologia e as identidades queer na realização de projetos que assumem a forma de esculturas interativas, instalações, performances, caminhadas e experiências de laboratório, nas quais o corpo se relaciona de formas inusuais com o mundo.
Pin organiza workshops techno-feministas e colabora desde 2012 na extensa rede de bio-hack, Hackteria (que une corpo e natureza). Pin colaborou com instituições como o CERN (European Organization for Nuclear Research), Geneva; Bergen Assembly; Hangar, Barcelona e KASK, Gant.
Local: Jardins do Palácio de Cristal

Cada workshop é destinado a uma única turma.
 
Créditos das imagens: Dinis Santos

Em contínuo

Podcasts com Mariana Sardon

Mariana Sardon vive e trabalha na cidade do Porto. Licenciada em Tecnologias da Comunicação Multimédia, na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Instituto Politécnico do Porto e mestre em Música Interativa e Design de Som, na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Dedica-se às artes visuais e sonoras e investiga arquivos de audio e de imagem. Interessa-se pelos processos técnicos de registo da memória visual e sonora, que explora ao nível ao performance ou da instalação. Actualmente dá também formação em workshops de eletrónica
direccionada para a construção de objectos de criação sonora. 
 

Assine a nossa newsletter