Galeria Municipal do PortoGaleria Municipal do Porto

  • Sábado, 9 de março, às 18 horas

    Norte Silvestre e Agreste: Performance por Alejandra Pombo Su - Toda carne

    A prática artística de Alejandra Pombo Su move-se entre as artes visuais, audiovisuais e performativas. Partindo de visões e imaginários oníricos, as suas obras representam emoções e figurações imaginadas tanto quanto pessoas, animais e lugares concretos, explorando a relação entre o feminino e o animal, o natural e o sensorial, o imprevisto, o inefável e o imaginado. 
     
    Na performance que marcará o encerramento da exposição, a artista irá explorar a presença animal através da modulação, vibração e intensidade da voz, enquanto corpo que se desprende da própria pele e que se conecta a um lugar não corpóreo, aberto e indefinido. 
    Local:
    Quartel de Monte Pedral
    (entrada pela Rua da Constituição)
     
    A entrada, gratuita, está sujeita à lotação do espaço e será feita por ordem de chegada.
  • Quinta-feira, 14 de março, das 15 às 18 horas | Baixa/Boavista

    Percurso Exodus para escolas, com Mafalda Fernandes — Quotidiano de Uma Negra

    A Mafalda Fernandes desenhou um percurso onde serão debatidas narrativas coloniais que se perpetuam nas ruas e espaço público da cidade, enquanto se visita lugares culturais e comerciais geridos por uma comunidade negra, portuguesa e emigrante, vinda de diferentes países africanos.  
    “Quotidiano de uma negra” é o projeto desta jovem psicóloga que ensina e reflete sobre a luta antirracista e que tomará forma e espaço ao longo desta caminhada Exodus.
    [INSCRIÇÕES ENCERRADAS - Percurso esgotado]

    Todos os percursos são realizados a pé. 
    Local de encontro a definir.
     
    Para participar neste Exodus, podem inscrever-se todas as turmas interessadas, através do e-mail galeriamunicipal@agoraporto.pt.

    Nascida e criada no Porto, Mafalda Fernandes é filha de pais brancos e irmã de mulheres negras. Psicóloga e ativista anti-racista, o estudo e pensamento sobre problemas sociais relacionados ao racismo são a sua maior paixão. Fundadora da Tour Africana Porto, usa o ecoturismo como forma de criar uma consciência comum. Criou o projeto @quotidianodeumanegra, onde expressa as suas inquietudes, em prol da educação anti-racista.
  • pings! / 16 de março, das 10h30 às 16h30 | Gineceu+Estigma

    0.2 Ressonâncias de um Jardim: Workshop de revelação para pings! com Casa da Imagem

    O processo para imaginar este workshop iniciou-se com uma recolha de elementos orgânicos como folhas, sementes e ramos, existentes nos Jardins do Palácio de Cristal, mas também com uma seleção fotografias do arquivo Teófilo Rego, que retratam tempos vividos neste jardim da cidade do Porto e que mostram exposição caninas ou stands para uma Feira de Vinhos. A parte prática irá acontecer na Casa da Imagem, um espaço de arte e partilha de conhecimentos onde estudantes vão poder contactar com diferentes processos de revelação – mais experimentais e ecológicos – que usam algumas das plantas colhidas anteriormente. 
    O colecionismo botânico, as representações científicas de espécies vegetais e animais vão ser substituídas por uma representação da natureza não tão humanizada, mas mais vivenciada e pessoal. 
    A Casa da Imagem é um lugar de arte e mediação, aprendizagens transdisciplinares e museologia, agindo para a equidade e justiça social. É um projeto da Fundação Manuel Leão, em Santo Ovídio, Gaia. Inês Azevedo e Joana Mateus, coordenadoras, e mais artistas, mediadores e investigadores organizam exposições, desenvolvem estudos, orientam oficinas. A Casa da Imagem trabalha sobre: o uso das tecnologias digitais para a representação e envolvimento crítico dos jovens nas redes sociais (#NarcissusMeetsPandora); as imagens que representam a indústria; os arquivos Foto-Comercial Teófilo Rego e Rocha Artes Gráficas; e a criação de imagens através de processos ecológicos.
  • Sábado, 20 de abril, das 15 às 18 horas | Baixa/Centro

    Percurso Exodus com Mafalda Fernandes — Quotidiano de Uma Negra

    A Mafalda Fernandes desenhou um percurso onde serão debatidas narrativas coloniais que se perpetuam nas ruas e espaço público da cidade, enquanto se visita lugares culturais e comerciais geridos por uma comunidade negra, portuguesa e emigrante, vinda de diferentes países africanos.  
    “Quotidiano de uma negra” é o projeto desta jovem psicóloga que ensina e reflete sobre a luta antirracista e que tomará forma e espaço ao longo desta caminhada Exodus.
    Todos os percursos são realizados a pé. 
    Local de encontro a definir.
     
    Lotação limitada.
    Inscrições para o email: galeriamunicipal@agoraporto.pt

    Nascida e criada no Porto, Mafalda Fernandes é filha de pais brancos e irmã de mulheres negras. Psicóloga e ativista anti-racista, o estudo e pensamento sobre problemas sociais relacionados ao racismo são a sua maior paixão. Fundadora da Tour Africana Porto, usa o ecoturismo como forma de criar uma consciência comum. Criou o projeto @quotidianodeumanegra, onde expressa as suas inquietudes, em prol da educação anti-racista.
  • Terça-feira, 9 de abril, das 15 às 18 horas | Arca D’Água/Zona Norte

    Percurso Exodus para escolas, com Flor e Daniel Sá

    Em 2021 foi lançada uma petição pública, hoje desativada, que questionava o Plano do Diretor Municipal da Câmara Municipal do Porto e debatia novos usos de alguns terrenos na zona de Paranhos — Arca d'Água. Um desses vazios urbanos, em contrapartida muito cheio de vida não-humana, popularizou-se como “A Charca de Salgueiros”. Microrganismos e uma grande variedade de espécies vegetais e animais vivem aqui, num limbo muito interessante de visitar e discutir. 
    Um estádio, um shopping ou piscinas de pólo aquático foram alguns dos desejos apresentados pelo centenário Sport Clube Salgueiros. 
     
    Neste percurso Exodus, orientado por Flor e Daniel Sá, vamos discutir o papel da arte na discussão do espaço público e aprender sobre burocracia, comunidade, desobediência e intervenção, reflectindo sobre processo e erro ao tentar navegar os temperamentos políticos de uma cidade. 
    Flor é artista a viver atualmente no Porto. Os seus estudos académicos cruzam a arte, a tecnologia e a cultura dos sentidos, com os quais cria, em diferentes colectivos, ambientes imersivos e multi-sensoriais. Desenvolveu uma dissertação e performance sobre o cheiro e a sua cultura, estimulando curiosidades em diversos acontecimentos. Sintetiza vídeo e luz para espectáculos. Manifesta-se politicamente através da escrita e da arte, com foco nos temas da ecologia e solidão, desde uma perspectiva cuír. girlflux.xyz

    Daniel Sá parte do estudo em Arquitectura no Porto, pautado por um desvio determinante pela Cidade do México, percurso que encerra com uma dissertação-ensaio sobre a queda do muro. A sua prática de exploração artística transporta vestígios desse lugar e sedimenta-se no regresso, integrado no estúdio Broca 501, aqui expondo ciclos de instalação cujas peças se debruçavam sobre a fractura. É membro integrante do Túnel, espaço colectivo auto-gerido, onde atua nas áreas de instalação, desenho, escrita e tatuagem, ao abrigo do nome Aguardente. Risca compulsivamente na expectativa de que algo se rache. aguardente.rip
  • Terça-feira, 23 de abril, das 15 às 16 horas

    Ressonâncias de um Jardim: Workshop de revelação para escolas com Casa da Imagem

    O processo para imaginar este workshop iniciou-se com uma recolha de elementos orgânicos como folhas, sementes e ramos, existentes nos Jardins do Palácio de Cristal, mas também com uma seleção fotografias do arquivo Teófilo Rego, que retratam tempos vividos neste jardim da cidade do Porto e que mostram exposição caninas ou stands para uma Feira de Vinhos. A parte prática irá acontecer na Casa da Imagem, um espaço de arte e partilha de conhecimentos onde estudantes vão poder contactar com diferentes processos de revelação – mais experimentais e ecológicos – que usam algumas das plantas colhidas anteriormente. 
    O colecionismo botânico, as representações científicas de espécies vegetais e animais vão ser substituídas por uma representação da natureza não tão humanizada, mas mais vivenciada e pessoal. 
    A Casa da Imagem é um lugar de arte e mediação, aprendizagens transdisciplinares e museologia, agindo para a equidade e justiça social. É um projeto da Fundação Manuel Leão, em Santo Ovídio, Gaia. Inês Azevedo e Joana Mateus, coordenadoras, e mais artistas, mediadores e investigadores organizam exposições, desenvolvem estudos, orientam oficinas. A Casa da Imagem trabalha sobre: o uso das tecnologias digitais para a representação e envolvimento crítico dos jovens nas redes sociais (#NarcissusMeetsPandora); as imagens que representam a indústria; os arquivos Foto-Comercial Teófilo Rego e Rocha Artes Gráficas; e a criação de imagens através de processos ecológicos.
  • Sábado, 11 de maio, das 15 às 18 horas

    0.3 Percurso Exodus para pings!, com Flor e Daniel Sá

    Em 2021 foi lançada uma petição pública, hoje desativada, que questionava o Plano do Diretor Municipal da Câmara Municipal do Porto e debatia novos usos de alguns terrenos na zona de Paranhos — Arca d'Água. Um desses vazios urbanos, em contrapartida muito cheio de vida não-humana, popularizou-se como “A Charca de Salgueiros”. Microrganismos e uma grande variedade de espécies vegetais e animais vivem aqui, num limbo muito interessante de visitar e discutir. 
    Um estádio, um shopping ou piscinas de pólo aquático foram alguns dos desejos apresentados pelo centenário Sport Clube Salgueiros. 
     
    Neste percurso, orientado por Flor e Daniel Sá, vamos discutir o papel da arte na discussão do espaço público e aprender sobre burocracia, comunidade, desobediência e intervenção, reflectindo sobre processo e erro ao tentar navegar os temperamentos políticos de uma cidade. 
    Flor é artista a viver atualmente no Porto. Os seus estudos académicos cruzam a arte, a tecnologia e a cultura dos sentidos, com os quais cria, em diferentes colectivos, ambientes imersivos e multi-sensoriais. Desenvolveu uma dissertação e performance sobre o cheiro e a sua cultura, estimulando curiosidades em diversos acontecimentos. Sintetiza vídeo e luz para espectáculos. Manifesta-se politicamente através da escrita e da arte, com foco nos temas da ecologia e solidão, desde uma perspectiva cuír. girlflux.xyz

    Daniel Sá parte do estudo em Arquitectura no Porto, pautado por um desvio determinante pela Cidade do México, percurso que encerra com uma dissertação-ensaio sobre a queda do muro. A sua prática de exploração artística transporta vestígios desse lugar e sedimenta-se no regresso, integrado no estúdio Broca 501, aqui expondo ciclos de instalação cujas peças se debruçavam sobre a fractura. É membro integrante do Túnel, espaço colectivo auto-gerido, onde atua nas áreas de instalação, desenho, escrita e tatuagem, ao abrigo do nome Aguardente. Risca compulsivamente na expectativa de que algo se rache. aguardente.rip
  • Sábado, 18 de maio, das 15 às 17 horas

    Dia Internacional do Fascínio das Plantas - Percurso para os Jardins com Evgenja Emets

    Como já vem sendo habitual nos Programas Públicos da Galeria Municipal do Porto, o Dia Internacional dos Museus tem sido festejado como Dia Internacional do Fascínio das Plantas, numa estreita relação com quem habita os Jardins do Palácio de Cristal – a sua fauna e flora – e também que os visita, numa celebração conjunta das diferentes formas de vida. 
     
    Este ano quem nos guiará será a artista Evgenia Emets, que cuida do projeto Eternal Forest, focado numa atenta e cuidadosa investigação sobre a ligação das comunidades com a floresta e na urgência em refletirmos sobre estas relações, muitas vezes assentes em lógicas extrativistas.
     
    Para este evento, Evgenia tem acompanhado as quatros estações do ano no espaço dos Jardins, deixando-se guiar intuitivamente pelas plantas e árvores daquele lugar. A proposta é que se faça um percurso onde se falará sobre as espécies de árvores que existem, acresentando ainda uma experiência coletiva de escrita a partir do que as plantas nos dizem, ao mesmo tempo que estabelecemos relações e histórias por detrás de cada uma delas.
    Informações para inscrições serão divulgadas em breve.

    Evgenia Emets (1979, Poltava, Ucrânia, USSR) é artista e poeta que vive e trabalha em Portugal. Frequentou o mestrado em Belas Artes pela Saint Martin's, Londres e há cinco anos decidiu reconstruir uma casa e a reabilitar um terreno agrícola em Torres Vedras, Portugal. A sua prática debruça-se sobre questões ecológicas, que transpõe para a arte visual, poesia sonora e caligráfica, instalação, performance, e arte site-specific em contextos naturais.  
    O seu projeto Eternal Forest marca uma transição de integração do pensamento ecológico na sua arte, com a missão de partilhar mais conhecimento sobre biodiversidade, ligando as pessoas à natureza e à paisagem florestal através da arte participativa. 
     
    Expõe individualmente ou coletivamente em exposições como CI.CLO / Bienal Fotografia do Porto - Sustentar; Roots & Seeds em Espanha; Multispecies Salon no Mexico e na Bienal de Cerveira; Encontro Pela Terra e Galeria Diferença; Participa em encontros sobre Arte e Ecologia, orienta percursos de “experiência artística” que tiveram lugar na  Estufa Fria Parque Florestal de Monsanto em Lisboa, ou no Encontro Pela Terra em Idanha-a-Velha.


    Imagens: Evgenia Emets
  • Junta-te ao coletivo!

    0.0 Sê ping!

    Se tens entre 16 e 22 anos e queres participar nas atividades da Galeria, percorrer os espaços de arte na cidade, ou frequentar workshops orientados por diferentes artistas e pensadores, basta enviares um mail para galeriamunicipal@agoraporto.pt. 
    O coletivo PINGs! aceita candidaturas em permanência.
  • Em contínuo

    Exodus para escolas

    Para participar no Exodus podem inscrever-se todas as turmas interessadas, através do e-mail galeriamunicipal@agoraporto.pt.
    Todos os percursos são realizados a pé. 
    Local de encontro a definir.
     
    Quinta e sexta, 10-13h e 14-18h. Duração: 120min
  • Visitas-Pavão às Exposições

    Visitas-Pavão às Exposições

    Para participar nas Visitas-Pavão podem inscrever-se todas as turmas interessadas, através do e-mail galeriamunicipal@agoraporto.pt.
    Quartas, quintas e sextas-feiras, das 10 às 13 horas e das 14 às 18 horas.
     
    Duração: 90 min. 
  • Visitas-Pavão aos Jardins

    Visitas-Pavão aos Jardins

     Para participar nas Visitas-Pavão podem inscrever-se todas as turmas interessadas, através do e-mail galeriamunicipal@agoraporto.pt.
     Quartas, quintas e sextas-feiras, das 10 às 13 horas e das 14 às 18 horas.
     
    Duração: 90 min.
  • Em contínuo

    Podcasts com Mariana Sardon

    A artista sonora Mariana Sardon tem vindo a acompanhar as atividades do PING! – juntamente com o grupo de PINGS! – que, em conjunto, se juntam para captar os sons e conversas de artistas e pensadores que integram o programa educativo de cada ano.
    Mariana Sardon vive e trabalha na cidade do Porto. É licenciada em Tecnologias da Comunicação Multimédia, na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Instituto Politécnico do Porto e mestre em Música Interativa e Design de Som, na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Dedica-se às artes visuais e sonoras e investiga arquivos de audio e de imagem. Interessa-se pelos processos técnicos de registo da memória visual e sonora, que explora ao nível ao performance ou da instalação. Actualmente, Mariana Sardon dá também formação em workshops de eletrónica direccionada para a construção de objectos de criação sonora.

loading

Assine a nossa newsletter