Galeria Municipal do PortoGaleria Municipal do Porto

Programas
Ensaios de uma Coleção
No próximo dia 4 de abril, quinta-feira a partir das 18:30 horas, a Galeria Municipal do Porto inaugura uma nova exposição: Ensaios de uma Coleção – Novas Aquisições da Coleção Municipal de Arte. O projeto expositivo reunirá as mais recentes obras adquiridas no âmbito do programa Aquisições, que desde 2018 tem vindo a dinamizar o núcleo de arte contemporânea da Coleção Municipal de Arte. No total, serão apresentadas obras de 38 artistas e coletivos.
 
Ampliando o repertório da Coleção, este novo conjunto de peças procurou abranger uma maior multiplicidade de artistas e práticas, numa lógica mais inclusiva e plural. O comité de seleção independente foi composto pelo artista Mauro Cerqueira, o colecionador Pedro Álvares Ribeiro e o curador e historiador de arte Pedro de Llano, que consideraram o valor artístico, histórico e crítico das obras apresentadas.
 
Ensaios de uma Coleção contará com as obras de Ana Hatherly, António Manso Preto, AURA, Bruno Zhu, Carla Cruz & Ângelo Ferreira de Sousa, Carlos Mensil, Carolina Grilo Santos, Diana Policarpo & Odete, Janaína Wagner, Jiôn Kiim, João Pedro Trindade, José Almeida Pereira, Júlia Ventura, Kenny Berg B2B Ronaldo Rosas, Leonor Parda, Letícia Costelha, Maíra Mafra, Maria José Aguiar, Maria José Oliveira, Maria Miguel Rodrigues, Mariana Barrote, Miguel Leal, Paulo Pinto, Pedro Huet, Rigo 23 / Programa Espacial Autónomo Intergaláctico, Rita de Almeida Leite, Rita Senra, Rodolfo Lopes, Ruca Bourbon a.k.a. Doutor Urânio, S4RA, Sofia Arriscado, Thomas Szott, Vasco Araújo, Von Calhau! e Xavier Paes.

Apoio curatorial: Isabeli Santiago e Patricia Coelho
Design: José Peneda
galeria

Quinta-feira, 4 de abril a partir das 18h30

Inauguração: Ensaios de uma Coleção

Desde a criação do programa Aquisições, foram integradas quase duas centenas de obras de arte de mais de 150 artistas e coletivos artísticos, tendo a Coleção um papel importante na dinamização, valorização e democratização do património artístico da cidade.

Ensaios de uma Coleção — Novas aquisições da Coleção Municipal de Arte reúne obras de 38 artistas e coletivos e poderá ser visitada até 19 de maio, na Galeria Municipal do Porto.
Com a participação de Ana Hatherly, António Manso Preto, AURA, Bruno Zhu, Carla Cruz & Ângelo Ferreira de Sousa, Carlos Mensil, Carolina Grilo Santos, Diana Policarpo & Odete, Janaína Wagner, Jiôn Kiim, João Pedro Trindade, José Almeida Pereira, Júlia Ventura, Kenny Berg B2B Ronaldo Rosas, Leonor Parda, Letícia Costelha, Maíra Mafra, Maria José Aguiar, Maria José Oliveira, Maria Miguel Rodrigues, Mariana Barrote, Miguel Leal, Paulo Pinto, Pedro Huet, Rigo 23 / Programa Espacial Autónomo Intergaláctico, Rita de Almeida Leite, Rita Senra, Rodolfo Lopes, Ruca Bourbon a.k.a. Doutor Urânio, S4RA, Sofia Arriscado, Thomas Szott, Vasco Araújo, Von Calhau! e Xavier Paes.
 
Apoio curatorial por Isabeli Santiago e Patricia Coelho
 
Design por José Peneda

Entrada gratuita.
galeria

Quinta-feira, 4 de abril, às 19h00

Passage to Crystallization - Performance por Xavier Paes

Passage to Crystallization é uma peça de percussão que funde som e imagem através do desenho de uma partitura.
Partindo da exploração de exercícios rítmicos é criada uma paisagem neumática em tempo real, numa performance que explora as relações entre música, tempo, movimento e sistemas de notação.
 
Xavier Paes é artista transdisciplinar. Interessa-se, entre outras coisas, por ideias como som e ruído, eco e ecologia, corpos ressonantes e a condição humana.
 
Créditos da imagem: 
Microphone Shake & Passage to Crystallization 
de Xavier Paes e Lukas Benaroch 
Galeria Zé dos Bois
Odair Monteiro, 2022

Sábado, 6 de abril, às 16 horas

Ensaios de uma Coleção: Visita guiada

 A Galeria Municipal do Porto realiza uma visita guiada às exposições no primeiro sábado de cada mês.
Ponto de encontro: balcão da Galeria. 

Entrada gratuita.

Sexta-feira, 17 de maio, às 19h00

Santa Barba, paisagem imaginária - Performance por Paulo Pinto

Exaltando um dos seus alter egos, Paulo Pinto convoca através de uma performance híbrida a poesia, as artes cénicas e musicais.
Carregada de referências da cultura popular do Brasil e identidades religiosas, a peça é um espelho de emoções autobiográficas sobre felicidade, perda, luto... "Uma partilha sensível para desabusar silêncios e embalar sua criança vi(ol)ada."
Créditos da imagem:
Santa Barba
Dori Nigro

Assine a nossa newsletter